Mensagens Diversas

CONFIANÇA ILIMITADA

A Confiança ilimitada tem as suas raízes nos méritos infinitos de Jesus, que ultrapassam todas as nossas indigências, misérias, necessidades. Não existem infidelidades e culpas, tendências más e misérias sinceramente detestadas que o Sangue de Jesus não possam lavar, purificar, perdoar; não há fraqueza que Ele não possa sarar, fortificar, transformar. Não há criatura de boa vontade, ainda que fraca e pequena que, em nome de Jesus, não possa aspirar à santidade.
(...) Mas, é vã a confiança em Deus, se não a acompanharmos com o nossos esforços generosos para cumprirmos todos os nossos deveres, para vivermos à altura da nossa vocação. Podemos e devemos esperar tudo do nome de Jesus, mas Ele pede-nos um esforço contínuo para Lhe sermos totalmente fiéis.

REZEMOS, MAIS UMA VEZ, COM SANTO AGOSTINHO:

“Deus omnipotente, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, Vós que sois benigno, usai de misericórdia para comigo, porque aquilo que podia encontrar de mais precioso, devotamente Vo-lo ofereci; tudo o que me foi dado encontrar de mais caro para vós, eu Vo-lo apresentei suplicante. Nada me ficou que não tenha apresentado em holocausto à Vossa Majestade; nada mais me resta acrescentar, pois que Vos ofereci a minha esperança:
- Enviei o meu Advogado, o Vosso dilecto Filho;
- Enviei o Vosso glorioso Filho, qual Mediador entre vós e mim;
- Enviei aquele Intercessor pelo qual espero obter o perdão;
- Enviei o Verbo que Vós enviastes para reparar a minha culpa;
- A Vós apresentei a Paixão que sofreu o Vosso Santíssimo Filho.

ESTA É A VÍTIMA SANTA QUE VOS OFEREÇO PARA VOS APLACAR E TORNAR PROPÍCIO.
GRANDE, NA VERDADE, É A MINHA INJUSTIÇA, MAS MUITO MAIOR É A JUSTIÇA DO MEU SALVADOR!

< Quanto Deus é superior ao homem, tanto a minha malícia é inferior à Sua bondade em qualidade e quantidade.
Que culpa poderia o homem ter cometido que não tivesse sido expiada pelo Filho de Deus feito homem?
Que soberba se inchou tão desmedidamente que não pudesse ser abatida por tanta humildade?
Em verdade, ó meu Deus, se com uma balança se pesassem os delitos do homem pecador e a graça de Deus Redentor, ver-se-ia que a diferença não é só como a distância que vai do Oriente ao Ocidente, mas como a que separa o inferno do mais alto dos céus.
Ó Criador da luz, perdoai as minhas culpas pelos imensos trabalhos do Vosso amado Filho.
Fazei, Senhor, que:

- a Sua piedade vença a minha impiedade; - a Sua modéstia satisfaça pela minha perversidade;
- a Sua mansidão dome a minha irascibilidade; - a Sua humildade repare a minha soberba;
- a Sua paciência, a minha impaciência; - a Sua benignidade, a minha dureza;
- a Sua obediência; a minha desobediência; - a Sua tranquilidade transforme a minha inquietação;
- a Sua doçura, a minha amargura; - a Sua caridade apague a minha crueldade.

(de “Intimidade Divina” - 2ª Edição, p.682)

 





© MAMCJ 2003- Todos os direitos reservados